Buscar
  • Ivan Kleber

Empresário de Valparaíso é acusado espancar, torturar e provocar aborto em jovem



A polícia civil do Estado de Goiás por meio da delegacia especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Valparaíso investiga um caso onde uma mulher supostamente gestante foi mantida em cárcere privado e sendo torturada pelo autor na cidade.


Em entrevista com a delegada Mariana Diniz titular da delegacia especializada de Atendimento à Mulher, ela disse que a vítima chegou até a delegacia relatando que teria sido agredida pelo homem com quem mantinha um relacionamento íntimo.


Segundo informações apuradas até o momento dão conta que a vítima descobriu que estava gestante e disse para o autor que precisava conversar, o autor pediu que ela viesse até o seu estabelecimento que fica na Avenida Principal de Valparaíso 2, chegando no comércio o autor convidou a vítima para ir até a sua residência.


A vítima disse que não queria, devido a insistência do autor ela foi, chegando na residência o que foi apurado, a vítima foi puxada já no portão pelo autor uma corda no pescoço começando ali a sessão de espancamentos sendo arrastada para o interior da residência.


A vítima foi amarrada mantida no local em cárcere por 4 horas onde apanhava levando socos, murros e pontapés chegando levar uma pancada na cabeça vindo a desmaiar, segundo a vítima quando acordava observava o autor sentado na sua frente e a todo momento dizendo que ela iria morrer, novamente começava os espancamentos.


Segundo que foi apurado o motivo de toda essa brutalidade aplicada na vitima, teria sido o motivo da vítima ter falado ao autor que estaria gestante, o autor fez a vitima ingerir comprimido abortivo e começou novamente as pancadas no rosto nas pernas na barriga e por toda parte do corpo.


segundo a vítima por volta de meia-noite ela foi solta e ao entrar no seu veículo por pouco não conseguiu chegar em casa, familiares presenciando venda a situação da jovem ainda em choque levaram ao HMV hospital municipal de Valparaíso onde passou por procedimentos e depois foi liderada.


A vítima Procurou a delegacia onde foi registrado todos os procedimentos, em conversa com delegada titular da especializada, ela relatou a nossa equipe de reportagem que a jovem foi encaminhada ao IML de Luziânia onde foi feito exame de corpo de delito e constatou vários hematomas causados por lesões praticadas pelo autor.


A delegado ainda disse que aguarda o Laudo mais técnico para confirmar o aborto sofrido pela vítima, ao ser concluído o inquérito será remetido ao judiciário e será pedido a prisão do autor.


Segundo a delegada o autor poderá responder por vários crimes entre eles, cárcere privado,lesão corporal,injúria,ameaça e tortura o caso segue para a justiça.

30 visualizações0 comentário