Buscar
  • Ivan Kleber

ENEL, AUMENTO DA CONTA DE ENERGIA EM GOIÁS PODE CHEGAR A 16%



A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estima que os valores pagos pelos consumidores por meio das bandeiras tarifárias não vão ser suficientes para custear os gastos com as usinas térmicas, alternativa empregada pelo governo para evitar um apagão.Com isso, por produzirem uma energia mais cara, os custos devem ser repassados aos brasileiros em 2022, com incidência de juros.


De acordo com a Aneel, a conta criada para administrar os mecanismos das bandeiras tarifárias, deve fechar este ano com um prejuízo de 8 bilhões de reais.Mesmo assim, segundo a agência, já há estudos de mecanismos para atenuar os reajustes e mantê-los abaixo da casa dos 2 dígitos. Entre as medidas analisadas, está a antecipação para o ano que vem do aporte de recursos da privatização da Eletrobras para reduzir os tributos dos consumidores.


A Aneel também analisa a possibilidade de adiar novamente o pagamento da parcela de remuneração das distribuidoras de energia. Com a adoção dessas estratégias, a agência estima reduzir de 16% para 10% o aumento das tarifas de energia.

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo