Buscar
  • Ivan Kleber

Lêda Borges critica valor do ‘Bolsa Estudo’ em Goiás e vai propor que o recurso seja de meio salári



A deputada estadual Lêda Borges criticou o valor de R$ 100 proposto pela governadoria a estudantes do Ensino Médio em Goiás, no chamado ‘Bolsa Estudo’. Segundo a parlamentar, o valor é irrisório e não é capaz de afastar a evasão escolar, visto que os gastos diários dos alunos são altos. Durante discurso proferido na Assembleia Legislativa (Alego), nesta quinta-feira, 4, a parlamentar disse que vai emendar o projeto de lei do governo estadual e vai propor que o recurso seja no valor de meio salário mínimo.


“Fiz um levantamento e com esse valor de R$ 100 o aluno só consegue pagar 10 dias de lanche. Só é possível comprar 3 kg de carne ou um caderno. Como isso vai combater a evasão escolar? É uma vergonha um projeto mal feito e sem nenhum cuidado e sensibilidade com a realidade dos estudantes e das famílias goianas neste período pandêmico”, comentou.


De acordo com Lêda Borges, a ideia da oposição é apresentar emenda ao projeto e propor que o valor passe de R$ 100 para meio salário mínimo. “Lá atrás, na gestão do PSDB, nós pagávamos isso, meio salário mínimo, no chamado salário escola. Essa é a diferença de um governo que pensa no social e de um governo que faz politicagem visando as eleições do próximo ano”.


Críticas a outros programas


A parlamentar ressaltou que em três anos de mandato, o governador Ronaldo Caiado só passou a pensar na área social em razão da aproximação das eleições de 2022. Ainda de acordo com ela, todos os projetos sociais apresentados são mal feitos e não contemplam todos os públicos vulneráveis.


“O Aprendiz do Futuro exclui adolescentes de 16 e 17 anos. O Mães de Goiás só atende a mulheres que tenham filhos com até seis anos, uma pequena parcela das 400 mil de famílias com crianças de 0 a 17 anos que se encontram em situação de pobreza ou extrema pobreza em Goiás. O Bolsa Estudo nesse valor também é um absurdo e também não contempla alunos do Ensino Fundamental”, disse.


Lêda Borges também lembrou que à época em que comandava a secretaria de Desenvolvimento Social, no Governo Anterior, foram atendidas 100.186 famílias pelo Programa Renda Cidadã, num valor mensal de R$ 10 milhões.


“Há quatro anos investíamos mais de R$ 120 milhões só no Renda Cidadã. Com o Programa Mães de Goiás, o Governo atual entregará, em Abadiânia, 247 cartões para as beneficiadas. Há quatro anos, na mesma cidade, eram 363 benefícios do Renda Cidadã”, pontuou.

29 visualizações0 comentário