Buscar
  • Ivan Kleber

“O Teto de Gastos vai causar prejuízo às carreiras públicas em Goiás”, diz Lêda Borges ao votar




A deputada Lêda Borges (PSDB) votou contra a PEC do Teto de Gastos do Estado, em sessão extraordinária da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), na tarde desta terça-feira (29). Para ela, a proposta vai causar prejuízo às carreiras dos servidores públicos. A parlamentar afirma que o voto contrário não é populista, mas sim coerente e consciente das demandas do funcionalismo público, que, segundo ela, é o responsável pelo funcionamento do Estado.


“O Estado tem que avançar. É preciso ofertar saúde, educação e segurança pública para a população e só se oferta isso com servidor público. Quem vai para a ponta executar política pública é o servidor. Se não tenho concurso, não tenho execução de políticas públicas. Não adianta uma escola vazia, um hospital vazio, um batalhão vazio. É preciso servidores”, afirmou.


De acordo com a parlamentar, o atual governador ainda não assumiu a responsabilidade de governar, o que, conforme ela, implica em desafios, dívidas e políticas para avançar o Estado.


“Sou contra ao Teto de Gastos porque Goiás é superavitário, com mais de R$ 4 bilhões. Voto contra porque o governador aumentou a dívida do Estado em um ato de irresponsabilidade ao postergar as dívidas com a União. Isso é estratégia para ganhar recurso e tentar a reeleição”, criticou.


Ainda segundo Lêda Borges, a posição contrária também ocorre por conta do tempo da proposta, que prevê o Teto de Gastos por 10 anos. “Essa proposta não consta a revisão do Teto a qualquer tempo. Teria que ser apenas dentro do atual Governo. Sou contra essa PEC porque ela vai quebrar a previdência dos servidores e os próximos governantes é quem herdarão as dívidas”.

8 visualizações0 comentário