Buscar
  • Ivan Kleber

Padrasto é condenado a 29 anos de prisão por espancar bebê até a morte

Um homem foi condenado, na quinta-feira (5/5), por espancar até a morte o enteado de 1 ano e 8 meses, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Wisley Serafim dos Santos deverá cumprir pena de 29 anos e 8 meses, em regime inicialmente fechado, após o crime praticado contra Davi Lucas Alves.


O crime ocorreu no dia 31 de agosto de 2020. Na época, de acordo com a denúncia do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), Wisley acionou o socorro para tentar simular uma morte acidental. No entanto, os médicos desconfiaram da situação do bebê.


Segundo a denúncia, o padrasto do bebê admitiu ter agredido o enteado com chineladas e as mãos. Em uma gravação, o acusado chegou a dizer que deu um banho no garoto para tentar reanimá-lo.


De acordo com a decisão, Wisley foi condenado por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, meio cruel e de forma que dificultou a defesa da vítima. Além disso, teve aumento de pena por fraude processual penal e tortura. O advogado Felipe Mendes Vilela disse que vai recorrer.


O MPGO também informou que o padrasto deu uma faxina em casa para tentar se livrar de possíveis evidências do crime e chamou o socorro na tentativa de simular uma morte acidental. Na delegacia, o homem apresentou algumas versões controversas, mas depois admitiu o crime, dando detalhes das agressões com as mãos e com chinelos.

Durante o julgamento no Tribunal do Júri, presidido pelo juiz Ronny Andre Wachtel, a defesa de Wisley disse que não houve homicídio e pediu que ele respondesse por lesão corporal seguida de morte, o que diminuiria a pena. Segundo a defesa, o padrasto acreditava que “estaria educando a criança de forma exagerada”.



0 visualização0 comentário