Buscar
  • Ivan Kleber

Polícia procura por acusado de tirar a vida de sargento da reserva da polícia Militar de Brasília






O suspeito de matar o 1º sargento da reserva remunerada da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) João Batista da Conceição Melo, 57 anos, é um detento do Complexo Penitenciário da Papuda beneficiado pelo Saidão de Natal. Hipólito Moreira da Silva (foto em destaque) estava com a massa carcerária de 1.855 presos libertados na segunda-feira (21/12) e que devem retornar aos presídios na próxima segunda (28).


O presidiário é irmão da jovem de 28 anos presa por policiais militares, na noite de quinta-feira (24), que tentou esconder um revólver calibre 32 na área rural Vendinha, em Padre Bernardo, no Entorno do Distrito Federal. Os PMs estavam na região à procura de Hipólito.


Após denúncia, a PM soube que um dos suspeitos do latrocínio estava escondido numa fazenda. Os militares fizeram buscas no local, com apoio das equipes da Patamo, do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), do helicóptero da corporação e da PM de Goiás. O bandido, porém, não foi localizado.


Durante a operação, os policiais abordaram um carro que deixava o terreno. No veículo, havia um casal: a irmã do suspeito e o marido dela.

Os policiais desconfiaram de um objeto escondido dentro de um meião. A jovem alegou que se tratava de um vibrador. Mas um segundo meião chamou a atenção. Nele, havia 24 cartuchos de munição. No primeiro, os militares encontraram o revólver.

Ela admitiu que a arma era do irmão foragido, que havia se escondido no mato. Quando soube das buscas policiais, decidiu tirar a arma da casa dos pais para não os prejudicar. Ainda não se sabe se o revólver é o mesmo usado no latrocínio do PM.


Ela foi detida em flagrante e levada para a delegacia de Águas Lindas (GO). O caso é investigado pela 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia).


O crime


De acordo com Informações coletadas pela PMDF, o 1º sargento João Batista da Conceição Melo se dirigiu até a propriedade para receber o dinheiro de uma dívida. Lá, foi recebido a tiros por dois criminosos que assaltavam o local: eles tinham feito a família moradora da residência refém e roubado R$ 10 mil em espécie e duas armas de fogo.

Os bandidos fugiam no momento em que o policial da reserva chegou dirigindo sua caminhonete – eles dispararam três vezes contra o sargento. Uma das balas atingiu o pescoço de João Batista. O dono da chácara socorreu o militar e o levou ao hospital, mas o PM não resistiu aos ferimentos e morreu. A corporação informou que quatro pessoas foram rendidas, inclusive uma criança de 5 anos.

A suspeita é de que os assaltantes tinham informações privilegiadas e sabiam que o dono da casa tinha arma de fogo na residência e estava com um alto valor em dinheiro.

317 visualizações0 comentário