Buscar
  • Ivan Kleber

ZECA Pagodinho é internado com Covid-19 no Rio de Janeiro



O cantor recebeu duas doses de imunizante contra a Covid-19. Vacina é fundamental, mas não isenta pessoa de infecção.

O cantor Zeca Pagodinho, de 62 anos, foi internado ontem (14) no Rio Janeiro após testar positivo para a Covid-19. Zeca já recebeu duas doses de um imunizante contra a Covid-19. Vale ressaltar que nenhuma vacina, contra nenhuma doença, protege 100% de uma possível contaminação.

O cantor deu entrada na Casa de Saúde São José, na Zona Sul do Rio de Janeiro, com sintomas leves da Covid-19, sem precisar de suporte de oxigênio. A direção da unidade disse que o sambista apresenta bom estado geral de saúde.

Defensor da vacinação

No dia 9 de julho, o cantor se vacinou contra a Covid-19 e escreveu em seu instagram: "Sextou em grande estilo por aqui! Hoje é dia de tomar a segunda dose da vacina contra o Coronavirus! Muita alegria e esperança de que já já toda a população estará vacinada e poderemos voltar para os sambas da vida! Viva o SUS! Viva a ciência e os profissionais da saúde!"

Dois dias antes, Zeca Pagodinho publicou uma arte feita por Rodrigo Bassetti defendendo a vacina e criticando os chamados "sommeliers de imunizantes", aquelas pessoas que insistem em escolher o laboratório fabricante da vacina contra a doença.


Vacina é importante, mas não impede a contaminação

Depois da repercussão da morte do ator Tarcísio Meira na última quinta-feira (12), aos 85 anos, aumentou a divulgação de fake news sobre a eficácia das vacinas.

Ainda não foi divulgado se o ator foi contaminado pela variante Delta. Assim como Zeca Pagodinho, ele foi vacinado com duas doses, o que não torna os imunizantes ineficazes.

Porém, a contaminação das celebridades serve de alerta para a necessidade de manter atenção constante com as medidas de proteção e de combate ao vírus.

As vacinas não têm o objetivo de impedir o contágio. Esse papel é das máscaras, da higiene das mãos e do distanciamento social, evitando aglomerações, especialmente em lugares fechados. Nenhuma vacina, contra covid ou qualquer outra doença, tem eficácia de 100%.

27 visualizações0 comentário